Soluções e estratégias para as emissões no sedimento setor

Soluções e estratégias para as emissões no sedimento setor

Atualmente, as emissões são um dos desafios fundamentais do setor de pelotas. No âmbito da conferência das Jornadas Mundiais de Energia Sustentável, realizada na cidade austríaca de Wels, do 27 de fevereiro ao 1 de março de 2019, Várias empresas mostraram suas soluções e estratégias avançadas.

Stefan Ortner, da ÖkoFEN, apresentou o modelos inteligentes eficientes, equipamentos de condensação e hibridação de biomassa com outras energias renováveis.

Entre as tecnologias atuais mais surpreendentes está uma Caldeira de gaseificação Windhager para a esfera doméstica que, usando biomassa "ruim", gera emissões bem abaixo dos limites estabelecidos pela legislação vigente. Esta caldeira foi desenvolvida no âmbito do projeto europeu Flexifuel CHX com parceiros como o BIOS e o CIEMAT.

El Projeto BIOFLEX obteve bons resultados em termos de emissões em caldeiras que utilizam pellets fabricados a partir de diferentes matérias-primas.

No Centro Alemão de Pesquisa em Biomassa (DBFZ), onde os testes são efectuados com pellets de 4 mm em Caldeiras "ultra pequenas", adaptado ao novo conceitos de edifícios com consumo de energia quase zero e um controle exaustivo das emissões.

Marco Palazzetti recomenda contra a necessidade de reduzir as emissões, tenha sempre em mente a regra "4B": Bom combustível, bom fogão ou caldeira, boa instalação e manutenção e boas práticas.

A situação atual indica ao setor que é necessário controlar a forma como os inventários de emissões são realizados, pois às vezes se baseia em cálculos errôneos. Por exemplo, aconteceu na Holanda, onde se acreditava que as emissões de partículas eram provenientes de uma% 40 da biomassa e, depois de analisar os fatores e cálculos, a contribuição foi reduzida para 8%.

fonte: www.bioenergyinternational.es