Uma nova tecnologia NIR para a análise rápida e econômica da qualidade da biomassa nativa é apresentada para o Prêmio Expobiomasa de Inovação

Biomasstep

A qualidade da biomassa é definida por parâmetros físico-químicos que variam conforme sua natureza (PCI / PCS, umidade, cinzas, voláteis, carbono fixo, etc.). O projeto Biomasstep desenvolveu uma metodologia analítica rápida, não poluente e inovadora, que estabelece os parâmetros de qualidade da biomassa instantaneamente, e que se baseia na aplicação da Tecnologia NIRS (Near Infrared Reflectance Spectroscopy).

A tecnologia NIRS consiste na emissão de um feixe de luz sobre a amostra, que, dependendo de sua composição física e química, irá absorver uma determinada quantidade de energia em cada um dos comprimentos de onda. O espectro NIRS gerado a partir da radiação absorvida pela amostra é característico de cada tipo de biomassa e é um reflexo de sua composição química, física e sensorial. Com essa tecnologia, com baixo custo por análise, diferentes produtos são analisados ​​e diferentes parâmetros analíticos são obtidos ao mesmo tempo, em poucos segundos, quase sem preparo de amostra. Não usa reagentes nem gera resíduos químicos.  

Para poder aplicar a tecnologia NIRS ao setor de biomassa, foi necessário obter um conjunto de espectros de amostras de biomassa e associá-los aos dados físico-químicos obtidos em laboratório e posteriormente, com software especializado, fazer um modelo de predição que permite analisar a biomassa sem a necessidade de ir ao laboratório. 

A tecnologia NIRS pode desempenhar um papel central na transição para um mercado de biomassa cada vez mais controlado e competitivo, uma vez que as suas aplicações não se limitam apenas à determinação da qualidade do produto, mas também à detecção de fraudes ou adulterações em lotes e lotes de biomassa. 

O uso desta tecnologia requer a compra de um equipamento NIRS. A partir desse momento, o projeto Biomasstep coloca à disposição de qualquer usuário do setor de biomassa modelos de previsão baseados na tecnologia NIRS, desenvolvidos para que qualquer empresa interessada no setor possa desenvolver seus próprios modelos de acordo com suas necessidades e objetivos. 

O modelo NIRS para a previsão da qualidade da biomassa do olival assentou num banco de mais de 1.500 amostras de osso e bagaço de azeitona analisadas em laboratório, e toda esta informação gerada está à disposição do sector: empresas que geram e consomem biomassa que já possuem, ou não, equipamentos de tecnologia NIRS; laboratórios de controle de qualidade e análise de biomassa; certificadoras de biomassa e controle de qualidade; Distribuidores de equipamentos NIRS; e fabricantes de caldeiras.

Mais informações

Projeto BIOMASSTEP - consórcio de projetos de cooperação Luso-Espanhola formado pela Agência Andaluza de Energia da Universidade de Córdoba (Leader), CTA, APPA, Prodetur e mais

www.biomasstep.es