IDAE aprova as primeiras convocatórias para financiar projetos de tecnologia renovável

Esquema de projeto de biomassa
181 milhões de euros prontos para financiar projetos renováveis ​​inovadores

O IDAE aprovou as primeiras convocatórias para o pacote de 316 milhões para financiar projetos inovadores de tecnologias renováveis ​​na Andaluzia, Principado das Astúrias, Castela-La Mancha, Catalunha, Extremadura, Madrid e Murcia.

A distribuição dos primeiros 181 milhões de euros do pacote foi acordada com as comunidades autónomas e servirá para mobilizar um investimento privado adicional de cerca de 551 milhões em projectos de geração eléctrica e térmica, gerar empregos locais e evitar a emissão de mais de 712.000 toneladas equivalentes de CO2 por ano.

Distribuição de fundos por comunidades autônomas

  • Andaluzia: € 124,30 M
  • Principado das Astúrias: € 10,00 M
  • Castela-La Mancha: € 8,13 milhões
  • Catalunha: € 7,00 M
  • Extremadura: € 16,70 M
  • Comunidade de Madrid: € 11,10 M
  • Murcia: € 3,75 M

Relativamente às tecnologias, a atribuição atribui € 35,70 milhões à biomassa, 22,00 milhões € aos gases renováveis ​​e 0,75 milhões € às redes de calor.

critérios de selecção

As chamadas de ajuda definirão as tipologias específicas de tecnologias elegíveis, adaptadas às necessidades de cada região e acordadas com as respectivas autoridades.

A avaliação dos projetos levará em consideração critérios ligados à transição justa, o desafio demográfico, a inovação, o compromisso com a eficiência, o combate à pobreza energética, a promoção de setores industriais estratégicos na região ou o apoio à participação do cidadão no sistema energético.

As concessões serão resolvidas por competição competitiva entre as candidaturas apresentadas, pelo que os montantes afinal atribuídos a cada uma das tecnologias dependerão do resultado da referida competição, realocando os orçamentos excedentários potenciais entre as diferentes tecnologias.

Poderão apresentar-se às convocatórias pessoas físicas ou jurídicas públicas ou privadas; comunidades de propriedade, comunidades de proprietários, grupos de comunidades de proprietários e outros grupos.

O programa será cofinanciado por fundos da União Europeia, como o Fundo FEDER, e pode ser reforçado com outros instrumentos europeus destinados a promover a recuperação económica.

Mais informação: